João Miguel

Quero começar agradecendo Santa Rita de Cássia e louvando Nosso Senhor Jesus Cristo… Meu nome é João Miguel, tenho 16 anos, sou acólito aqui da paróquia há 2 anos, participo do grupo RUAH e AMARE na Capela Sagrada Família.

Tudo começou há 4 anos, quando, indo para a escola, tive um desmaio dentro do ônibus. Fui ao médico e após 5 dias internado descobri que tinha uma anemia alto imune. Após alta médica fui acompanhado durante um ano, depois recebi alta geral.

Até então minha vida seguia normal. Tinha passado um ano exato que eu havia recebido alta, quando, após a festa junina da Capela Sagrada Família na qual trabalhei o dia inteiro junto com meus companheiros acólitos, fui para casa dormir, pois no outro dia serviria na missa da manhã.

Durante a noite senti uma leve dor de cabeça. Antes de sair de casa falei para a minha mãe que tive dor de cabeça. Na missa daquele dia minha mãe estava servindo de ministra, ela ficou reparando em mim e viu que eu estava muito branco.

Ao chegarmos em casa, minha mãe falou que após almoçar iríamos para o hospital. Pegou, então, uma carta que eu tinha de indicação médica, por conta da anemia que eu havia tido anteriormente, pois durante o tratamento não se chegou em um resultado conclusivo do porque essa doença se manifestou em mim. Fiquei internado e após alguns exames constatou-se que aquela doença terrível tinha voltado, porém, desta vez mais agressiva.

Anemia hemolítica autoimune é quando o nosso sistema imunológico ataca nossos glóbulos vermelhos como se o nosso sangue fosse uma doença. É o corpo destruindo o próprio corpo! Não se sabe porque isso acontece, e de repente e precisa ser tratado com muita urgência, o índice de morte é muito grande!

Nesse dia, tive o primeiro desmaio, pois já faltava sangue no meu corpo e meu cérebro já não tinha oxigênio suficiente!

Foi feita uma transfusão de sangue de altíssimo risco, pois como o organismo estava cheio de anticorpos contra meu sangue, na hora da transfusão eu poderia ter um choque anafilático, ou uma parada cardíaca, porém, sem a transfusão eu provavelmente não viveria até o dia seguinte.

Mesmo com as transfusões não tive melhoras, elas só melhoravam momentaneamente, e meu estado se agravava a cada dia. Tive muitos desmaios, vômitos, já não podia me levantar da cama. As transfusões eram feitas todos os dias e duravam em torno de 8 horas, pois tinham que ser muito lentas, por causa do grande risco que elas representavam.

Minha irmã participava de um momento de oração na Igreja Dom Bosco, com a Adma quando foi proclamada a cura de um sistema imunológico e ela tomou posse da graça! Na oração individual, a serva disse que o Senhor mostrava para ela, bolsas de sangue, muitas bolsas e que Jesus falava que se eu não tinha as hemácias, Ele me daria, que o sangue que correria nas minhas veias jorrariam do coração Dele. A serva disse também que via que o Senhor me queria em sua obra, mas que a provação seria muito grande, para que meu testemunho fosse tão forte quanto minha provação, pois meu testemunho seria um testemunho de conversão.

No domingo Dr. Fausto nos disse que se eu não melhorasse até na terça feira, a retirada do baço seria uma opção, mas que até lá precisaria esperar para ver se o meu organismo reagiria ao tratamento com os corticóides! Nesse mesmo dia, o Padre Edivan, foi me visitar e a pedido da minha querida amiga Léia ele levou uma grande benção ao hospital para me visitar: a RELÍQUIA DE SANTA RITA DE CÁSSIA. Esse foi um momento muito mágico e grandioso: saber que a minha intercessora estava ali junto de mim.

A partir daí não me lembro de praticamente mais nada, pois meu quadro foi piorando a cada instante. Estava com um quadro de confusão mental, arritmia e já não conseguia nem levantar a cabeça, muito agitado e falando coisas sem nexo. Meu estado era gravíssimo. Até o médico se desesperava. Teve um momento em que o próprio médico foi buscar o sangue porque se eu não recebesse esse sangue naquele momento, não sobreviveria. Quando ele foi fazer a transfusão, alertou minha irmã e minha mãe que seria uma intervenção de alto risco. Seria necessária a retirada do baço como a alternativa mais rápida de recuperação do organismo, mas que eu não aguentaria uma cirurgia naquele momento, porque não tinha sangue no corpo e o que ele temia estava acontecendo, minhas hemoglobinas caíram muito e para poder fazer a cirurgia, eu precisaria receber uma quantidade de sangue muito grande em pouquíssimo tempo.

O médico disse para minha mãe que ela poderia falar comigo antes da cirurgia, como que para se despedir, acredito que ele achava que eu não iria resistir! Ela foi, mas não para se despedir, pois a todo momento, teve fé que Deus estava tomando conta de tudo!

Fui para a cirurgia e o médico disse que eu não poderia perder uma gota sequer de sangue, pois não poderia fazer mais transfusão naquele dia. E após o fim da cirurgia, o médico que me operou foi falar com minha mãe e minha irmã, disse que meu baço estava enorme, mas que a cirurgia tinha sido um sucesso e que foi muito limpa, que nenhum sangue foi perdido apesar da urgência em que foi feita.

Lembram aquela revelação que foi feita no grupo da Adma?? Sobre as bolsas de sangue que jorrariam do coração de Jesus?? Pois bem, o único momento em que recebi bolsas de sangue juntas, de uma vez, foi antes da cirurgia no centro cirúrgico!!! Você duvida que foi Deus??? Eu não!! Tenho certeza que Jesus e Nossa Senhora estavam comigo naquela hora e em todos os momentos desde a minha chegada naquele hospital! Sempre com a intercessão da Santa das Causas impossíveis: Santa Rita de Cássia. Quando os médicos já não acreditavam mais, quando os homens chegam ao seu limite e a ciência já não tem mais o que fazer, ali opera o SENHOR!! Ali seus milagres estão, ali sua obra acontece e suas promessas se cumprem!!

Nos dias que se sucederam, fiquei na UTI e todos que me viam sorriam e falavam que eu era um milagre! Sou mesmo!!

Depois que saí do hospital, minha mãe foi numa missa de Santa Rita, uma missa como esta de hoje. Levou para casa algumas rosas bentas e com suas pétalas fazia suco para eu beber. Suco de pétalas de rosas de Santa Rita.

Na semana em que eu faria o segundo retorno ao médico, ao participar do grupo de oração realizado pelo Eduardo do Santuário de São Miguel Arcanjo, meus amigos Carlinhos e Marly também tiveram a revelação da minha cura. Eduardo revelou que o Senhor havia mostrado que meu sangue tinha sido 100% curado, revelando também que via ali a intercessão de Dom Albano Cavalin!!

Retornei ao médico que se surpreendeu com os resultados dos meus exames e me disse que iria tirar os corticoides e que não seria necessário tomar mais nenhuma benzetacil. Minha mãe questionou o fato de não tomar mais a injeção, porque eles haviam dito que talvez seria para a vida toda, ouvindo do médico apenas que não seria mais necessário.

Então, amigos, aqui estou. Curado e salvo pela misericórdia do nosso Senhor Jesus Cristo! Agradeço mais uma vez e peço que Deus abençoe a família de cada um que orou por mim. Não tenho palavras, para explicar o quanto sou grato a Deus por essa segunda chance que me foi dada. Deus foi maravilhoso em minha vida e prometo a Ele que vou honrar essa segunda chance que ele me deu! Uma frase que eu gosto muito e que me ajudou a nunca desistir é de uma música que diz: ninguém explica DEUS. E não explica mesmo. Nunca ninguém nessa vida vai explicar Deus e seus mistérios em nossas vidas, por mais difícil que seja a sua situação, nunca perca a fé, nunca desista Dele, pois Ele nunca desiste de você. Milagres acontecem o tempo todo, em todo lugar, basta crer, basta abrir seu coração para a ação de Deus!

Nada é impossível para Deus.

DOM ALBANO! ROGAI POR NÓS

SANTA RITA DE CASSIA! ROGAI POR NÓS

NOSSA SENHORA APARECIDA! ROGAI POR NÓS

SÃO MIGUEL ARCANJO! ROGAI POR NÓS E DEFENDEI-NOS NO COMBATE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *