Mateus Giovani da Silva e Souza

No dia 11 de junho de 2018, levantei para ir trabalhar, já estava um pouco atrasado, no meio do caminho sofri um acidente de moto (por volta das 08:15 da manhã), bati na traseira de um  caminhão, o qual carregava uma retroescavadeira. Não me lembro de nada, as pessoas que me socorreram relatam que me encontraram caído no chão e que permaneci desmaiado por uns 15 minutos, logo comecei a ficar agitado e com face de dor mas não retornei a consciência apenas ficava me batendo, 3 pessoas não conseguiam me segurar.

Mas Deus já estava ao meu lado desde aquele momento, colocando a Sandra, uma amiga de minha família, que me vendo ali no chão com sangramentos pelo  nariz, boca e ouvido e sem consciência, ligou para o SAMU e insistiu pelo socorro aéreo. A equipe que me deu os primeiros socorros era muito capacitada e ali mesmo no local do acidente realizaram todos os procedimentos que eu precisava, garantindo que eu chegasse com vida no hospital, fui levado para o hospital de helicóptero.

Eu sofri um traumatismo craniano em região frontal com aprofundamento de crânio, tive pequenos sangramentos e pequenas lesões por todo o cérebro, fratura de base de crânio, edema cerebral (inchaço), o líquido que banha o cérebro saía pelo meu ouvido (muito grave), tive arrancamento de orelha esquerda, uma lesão no olho e pneumonia.

Cheguei no Hospital Evangélico de Londrina por volta das 10h, minha família não podia me ver, fiquei no pronto socorro em observação em coma induzido e realizando alguns exames. Às 17h a visita foi liberada, o enfermeiro disse para minha mãe que eu já estava praticamente morto e disse para minha tia e prima que era para elas prepararem a minha família para o pior. Meu estado era gravíssimo, fui para UTI, os médicos não podiam fazer nada por mim, mas Deus sim!

Minha família e amigos não desistiram de mim e eu não desisti de lutar pela minha vida. Eles buscaram em Deus a minha salvação, muitos grupos de oração e terços foram realizados em meu nome, pessoas que não me conheciam rezavam por mim, todos os dias as orações pedindo por minha vida eram realizadas.

Eu permaneci na UTI por 13 dias, nos 4 primeiros dias meu quadro só piorava, suspeitaram de meningite e de infecção generalizada, fiquei inconsciente e entubado respirando com ajuda de aparelhos por 8 dias. Durante esses 8 dias de inconsciência, eu me contorcia na maca mas não abria os olhos, meu cérebro não acordava,  eu não apresentava melhora e os médicos só falavam das sequelas que eu poderia ter se eu sobrevivesse, eles não imaginavam o milagre que estava para vir.

Dia 12 de junho no grupo de oração, uma mulher foi tocada e pediu para a minha mãe levar a relíquia de Madre Leonia para mim no hospital. No dia 14 de junho a pedido do Padre Edivan a Relíquia de Santa Rita de Cássia e do Padre Pio foi levada até mim na UTI do hospital enquanto eu estava em coma. A intercessão era poderosa!

No dia 15 de junho uma intercessora (Marcia) rezou por mim as 3h da madrugada pois sonhou que eu via rosas brancas então ela comprou rosas brancas e ofereceu a Santa Rita (no dia 28 de junho quando eu fiquei mais consciente minha namorada perguntou para mim se eu me lembrava te der sonhado com rosas brancas e eu confirmei que sim). No mesmo dia 15 de junho uma irmã do terço (Eliana) que minha cunhada Léia participa, rezou para o Padre Pio interceder por mim e então ela vizualizou o Padre Pio indo até o hospital e me dando uma benção.

No dia 19 de junho eu abri os olhos mas eu não enchergava, comecei a tentar falar mas não conseguia saia tudo enrolado. Nesse mesmo dia no grupo de oração Jesus Eucarístico, foi apresentado para Deus que eu não enchergava, e o Espírito Santo revelou para a serva que eu não abria os olhos porque tinha medo de ver a retroescavadeira na minha frente, e que era para as pessoas dizerem para mim que não tinha mais nenhuma retrosecavadeira na minha frente e que eu já tinha sido socorrido e estava bem. Então todos que entravam para me visitar falavam o que o Espírito Santo revelou.

No dia  20 de junho eu já estava acordado, abria os olhos e já enchergava, conversava com um pouco de dificuldade, fazia joia com a mão, sim e não com a cabeça. Apresentando melhoras cada dia mais!

Dia 23 de junho recebi alta da UTI e fui para o quarto. Apresentava perda de memória rescente, períodos de agitação, desorientação, recebia muita medicação para ficar mais calmo, mas nos momentos de lucidez mandava mensagem para todo mundo no whatsapp, rezava, conversava, ainda me recuperando. Todos que me viam não acreditavam, o menino que iria ficar em estado vegetativo estava mais que vivo!

Estava tudo bem, mas no dia 26 de junho eu tive uma convulsão,eu estava com 39,8°C de febre, fizeram uma tomografia e descobriram um coágulo no meu cérebro, era necessário fazer uma cirurgia. No dia 29 de junho fizeram a cirurgia, fiquei com um dreno na cabeça por 3 dias para drenar o sangue do coágulo, após a cirurgia fiquei com uma paralisia facial do lado esquerdo, mas com a Graça de Deus os movimentos já estão voltando.

No dia 2 de julho eu tive alta do hospital. Fui para a casa, andava com dificuldade estava muito fraco, sem força muscular pois fiquei 21 dias deitado no hospital, ainda apresentava perca de memória rescente, com o passar dos dias tudo foi se ajeitando graças a Deus.

Hoje eu sou a prova viva do amor e do poder de Deus! Deus teve misericódia de mim! Eu sou fruto da oração! Deus me salvou e está me curando totalmente! Eu sou um milagre!

Nesta dia 22 de outubro 2018, ofertamos 21 rosas a Santa Rita de Cássia, simbolizando os 21 dias em que ela ficou no quarto comigo, enquanto estava no hospitalizado. São meus amigos e família que rezaram por mim, que agora vem ofertas essas rosas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *