Eliane Aparecida Superbi

Eliane Aparecida Superbi, é mãe de Angélica de Cássia Superbi Gomes  que participa do grupo de jovens Guardiões da Fé (GDF). Ela já frequenta a paróquia há mais de quatro décadas; teve a honra de receber duas graças, muito importantes pela intercessão de Santa Rita de Cássia.

A primeira foi ter sido agraciada pela bênção da cura de fortes crises de asma de suas duas filhas.

A outra graça foi há mais ou menos quatro anos, quando sua filha Angélica começou a se queixar de fortes dores nos rins. Por várias vezes, Eliane teve que correr com ela para a UPA para tomar medicação na veia, pois crise renal é muito sofrida.

Em uma dessas vezes, ao chegar à UPA, percebeu que no consultório tocava bem baixinho uma música cristã. O médico as atendeu e prontamente sem fazer muitas perguntas, pois a cólica estava fortíssima, ele a pôs no soro com a medicação e Angélica acabou adormecendo.

Nesse instante, Eliane pediu a Santa Rita que tirasse aquela dor dela e intercedesse a Deus Pai para que sua saúde fosse restaurada, assim como já tinha acontecido uma vez, com a cura da asma. Colocou sua mão sobre o rim da filha, rezou e pediu que fosse feita a cura ali.

Ao acordar, a menina já não sentia mais dores, o médico fez o pedido de uma ultrassom que deveria ser marcada no Posto de Saúde, pois ela teria que fazer um tratamento no Hospital do rim e deu alta para  Angélica. Assim, voltou para casa totalmente sem dor, porém, Eliane foi marcar o exame e soube que o mesmo demoraria até três meses para ser feito.

Como no outro dia era o dia 22, ela foi à missa e pediu a Santa Rita que ajudasse a liberar o exame para que Angélica pudesse realizar o tratamento no Hospital do Rim o mais rápido possível. Para sua surpresa, quinze dias depois ela recebeu o encaminhamento para o exame. As atendentes do Posto não entenderam essa rapidez. Mas, ela sentiu que  ali havia a intercessão de Santa Rita de Cássia.

Ao realizar o exame, o médico perguntou se era certeza das pedras no rim, ou se era uma dúvida. Eliane contou a história e disse que Angélica tinha duas pedras pequenas e uma grande. O médico estranhou porque simplesmente não tinha nada em nenhum dos rins. Tanto estranhou que pediu ajuda para outro médico, porém, os dois nada encontraram em nenhum dos rins.

Eliane relatou sobre sua fé em Deus o sobre a devoção em sua intercessora Santa Rita e o dois médicos perguntaram: “Quem é esta Santa?”. Contou em resumo a história de Santa Rita, ambos se entreolharam e disseram que a Fé da mãe curou a filha, pois nem resquícios de pedra encontraram.

Assim, nunca mais Angélica se queixou de dores no rim e nunca mais precisou de remédios.

Eliane tem plena convicção que sua filha foi curada por Nosso Deus Pai, pela intercessão de Santa Rita de Cássia, a Santa das Causas Impossíveis.

Esse testemunho foi relatado publicamente no dia 21 de maio de 2019, no 3º Dia do Tríduo de Santa Rita de Cássia na Igreja Matriz da Paróquia Santa Rita de Cássia em Celebração Eucarística Solene das 19h.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *